|programação|

logo3

Programação do evento “5 anos da Primeira Revolta da Catraca – Construindo a Memória da Resistência”

Dia 26 de junho, sexta-feira, 19 hs

NOVO LOCAL:

Auditório do SEEB – Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região
Rua Visconde de Ouro Preto, 308 – Florianópolis – SC

Mini-Curso sobre Mobilidade Urbana

Dias 26 e 27 de junho

Programação aqui.

Relembrando a Revolta da Catraca:

antecedentes e reverberações na atualidade

De 29 de junho a 3 de julho de 2009

29 de junho, segunda-feira, às 18h
Exposição de fotografias
Abertura da exposição 5 anos da primeira Revolta da Catraca – construindo a memória da resistência em Florianópolis.
29 de junho, segunda-feira, às 19h

Visões sobre a Revolta – reflexões a partir dos olhares dos participantes

A dimensão plural da revolta: diversos grupos participaram, diversos grupos ajudaram a fomentá-la. Como podemos expressar algumas destas múltiplas visões hoje? Além disso, outros pontos a serem abordados são: quais foram seus antecedentes históricos, o que implicou em termos de renovação de certos aspectos das mobilizações políticas da cidade, o que resta na memória de manifestantes e no imaginário da população.

Participantes:
Carolina Cruz, “Cabelo”, Thiago Umberto “Garganta” e Mayara Pires, estudantes secundaristas na época da revolta;
Daniel Guimarães Tertschitsch, jornalista, co-fundador do Centro de Mídia Independente em Florianópolis e militante do MPL Floripa;
Denílson Machado, ex-diretor do SEEB e integrante do Fórum em Defesa do Transporte Coletivo na Grande Florianópolis à época das revoltas;
Marcelo Pomar, historiador e militante do MPL Floripa;
Rafael Knabben, cientista social.

20 de junho, terça-feira, às 19h

Análise de conjuntura da Florianópolis atual

Problematizar o desenvolvimento da cidade e pensar em suas implicações acerca das sociabilidades atuais. Encarar a cidade como cenário de relações conflituosas e tentar imaginar para onde podem apontar. Pensar quem são os grupos que têm influência sobre a dinâmica sócio-econômica da cidade, qual o papel das elites políticas, quais as margens de atuação dos movimentos sociais.

Expositores:
Lino Bragança Peres, professor do depto. de Arquitetura e Urbanismo da UFSC e Elson Manoel Pereira, professor do depto. de Geografia da UFSC

1º de julho, quarta-feira, 19h

Revoltas antes da “Revolta”: breve história das contestações políticas em Florianópolis

Assim como o lema do encontro – construindo a memória da resistência –, a idéia desta mesa é situar a Revolta da Catraca numa cronologia de resistências que aconteceram na cidade. Assim torna-se possível analisar as diferentes demandas e formatos de mobilização e repressão, o que pode contribuir para que os movimentos atuais e futuros reflitam sobre suas ações e intenções.

Exposições:
Resistência à instauração do golpe militar no estado e sobre o contexto de endurecimento pós-AI5. Por Fernando Ponte de Sousa, professor do depto. de Sociologia Política da UFSC/ Memorial Catarinense dos Direitos Humanos
Da anistia à ditadura militar no estado de Santa Catarina. Por Prudente Mello, advogado, presidente da Comissão de Direitos Humanos durante as revoltas
Política em Florianópolis da Novembrada até hoje. Por Reinaldo Lohn, professor do depto. de História da Udesc
Depoimento de um militante à época da Novembrada. Por Celso Martins, jornalista e historiador
Lutas urbanas na planície do Campeche. Por Tereza Cristina Barbosa, bióloga, membro do Movimento Campeche Qualidade de Vida

2 de julho, quinta-feira, 19h

Movimentos políticos juvenis ontem e hoje

Rastrear algumas influências políticas, históricas, práticas e teóricas dos movimentos daqui, sejam elas longínquas ou não. Há algumas características que aparecem em Florianópolis durante as revoltas que podem ser identificadas em outros movimentos, no Brasil e no mundo. A idéia é investigar que elementos são esses, quais foram as especificidades daqui, apresentando algumas dessas experiências.
Exposições:
Movimentos políticos juvenis: uma abordagem panorâmica. Por Janice Tirelli, professora do depto. de Sociologia Política da UFSC e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Juventudes Contemporâneas
Revoltas juvenis na França: de 68 a 2005. Por Luís Antônio Groppo, sociólogo, professor do programa de Mestrado em Educação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo e pesquisador do CNPq
Herbert Marcuse, A Grande Recusa Hoje. Por Isabel Loureiro, professora colaboradora no programa de Pós-graduação em Política da UNICAMP


3 de julho, sexta-feira, 19h

Influência das revoltas nas lutas pelo transporte Brasil afora

Como repercutiram as Revoltas da Catraca em outros movimentos no Brasil? Como se dá a formação do Movimento Passe Livre (MPL) em nível nacional? Como aconteciam os protestos e as lutas por transporte coletivo decente em outras cidades?

Participantes:
Representantes do Movimento Passe Livre (MPL) de diferentes cidades brasileiras (MPL Curitiba, MPL Distrito Federal, MPL Joinville e MPL São Paulo)

3 Respostas para “|programação|

  1. São essas iniciativas que garantem a transparência dos poderes, o fortalecimento das instituições e o estado democrático de direito. Somente a luta organizada em todos os campos e que permite que não haja retrocesso da democracia, nem a criminalização dos movimentos sociais. Parabéns pela iniciativa.

  2. Pingback: Programação do Evento “5 Anos das Revoltas da Catraca” « Desterro’s Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s